segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O velho cede lugar para o novo, lá vai 2012 carregando seus momentos. Deixa no lugar suas marcas. Meus cabelos branquearam esse ano. Se não por fora, por dentro da minha cabeça. 
Já estava na hora mesmo de respirar outro ar ano que vem. É tão boa essa sensação de que de um minuto ao outro, tudo irá mudar para melhor. Eu acredito, sério. Como três uvas itália verdinhas e guardo o caroço.Logo depois eu perco, afinal, são só três caroços. Mas que eu guardo, eu guardo. Uma vez comi pétalas de rosa para encontrar meu grande amor. Não sei se foi no mesmo ano em que encontrei meu marido, mas a rosa deve ter contribuído de alguma forma...
Acreditar. Se fosse para escolher um verbo para 2013, o meu seria esse. Acreditar em Deus, em seus planos, no amor e nas pessoas. Quando a fé parecer da boca pra fora, Senhor, me ajude a acreditar. 

Bjkas queridas e queridos leitores.
Que a gente continue por aqui ano que vem!



sábado, 22 de dezembro de 2012

O mundo não acabou ontem, terça-feira é natal e estou esperando 2013 assim:


"Desejo que haja cumplicidade. Que o entendimento aconteça no olhar. Que as palavras sejam estilingues e não pedras. Desejo que haja tolerância e muita paciência. Que os defeitos de um, não machuquem o outro. Que as qualidades de um, não ofusquem o outro. Desejo que o tempo seja generoso. Que os dias passem em paz. Que as noites sejam de festa. Desejo que a rotina não seja cruel. Que a paixão seja sempre descoberta. Que o abraço seja sempre conforto. Desejo que as vontades caminhem de mãos dadas. Que as diferenças e distâncias só sirvam para aproximar. E que a fé no amor, seja salvação para todos os dias."
  Briza Mulatinho.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Colorindo seu dia!

Acho uma graça esse tipo de móvel, quando olho para esses ambientes, tenho a sensação de que eles foram no salão e fizeram escova, unha e massagem. Tudo fresquinho e colorido, amoooo.















Bejok!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Você conhece a PQP?

Gente do céu!

Eu amo o Natal, sério. Mas amo o meu Natal, as minhas lembranças lá na casa dos meus avós, o pernil assando no forno, a champagne nas taças, as crianças correndo ansiosas pelo papai noel, todo mundo feliz. E amo o Natal do Pedro, meu filho, que é sempre carregado de emoção. Sempre agradeço por esse presente que Deus me deu...meu filho é meu sonho realizado. O melhor deles.  
Mas voltando ao assunto do natal, hoje fui ao shopping em Balneário Camboriú, meu Deus, que loucura! Muita gente, muita oferta, ok...eu sei que é assim que funciona nessa época. Consumismo total! E o espíriito natalino....vou te contar onde ele anda.
Enquanto eu estava escolhendo uma calça branca lindona para meu pimpolho passar o reveillon, dando uma de estilista para Pedroca arrasar, ouvi um grito: você é grande mas não é duas! E quando eu virei, a cena: duas mulheres se atracando na fila do caixa. Detalhe é que as duas tinham filhos, uma delas estava com trigêmeos em carrinhos, além da menininha que gritava demais, e a outra com outra criança de colo. 
Que horrorrrr! Saíram se atracando aos ponta-pés e o segurança não fez nada. Deixei a calça do Pedro lá mesmo e saí rapidinho.
Bom...por mim teria virado as costas e ido para meu lar, doce lar. Mas ainda tinha uma listenha de presentes para cumprir, então lá fui eu...coloquei minha faixa de rambo (se você não sabe quem é rambo, ignore) e entrei em uma loja de calçados lotada. 
Parece mentira, mas juro que é verdade. Enquanto eu estava lá, pensando nas duas malucas da briga, ouvi um menino, de uns dois anos aproximadamente, caminhando entre os corredores da loja e chamando pela mãe. Bom, olhei em volta e nada. Chamei uma vendedora, que ficou assustada e paralisou. Peguei o menino pela mão, disse que iria ajudar a encontrar a mãe dele e ele veio comigo facinho, caminhando pela loja. Comecei a falar alto para encontrar a mãe do menino, enquanto isso, juntou algumas pessoas preocupadas. 
Não aparecia ninguém procurando pelo pequeno, que mal sabia falar. 
De repente, surge uma moça do meio do nada, o menino a reconhece e ela diz: tava perdido? Bem feito! Quem mandou sair de perto de mim! Gente...larguei a mão do menino e saí de perto pra não dar uma de louca ali, até porque o menino estava assustado o suficiente.
Se eu quisesse, teria saído com muita facilidade com ele da loja e até do shopping, e fiquei chocada com a reação daquela mãe, se é que uma pessoa pode ser chamada assim só porque pariu. Pessoalmente, acho que ela é a tal puta que pariu! 
Entendo que criança some em um piscar de olhos, eu mesma já passei por essa experiência uma vez, foi questão de segundos até eu rever onde meu filho estava, mas para mim, parecia uma eternidade. 
Fiquei desesperada. 
E fiquei mais indignada ainda quando fui à praça de alimentação, pra fechar a noite, e ouvi uma funcionária e um segurança comentando outro caso assim, que tinha acabado de acontecer. Mais uma criança perdida, desesperada, e mais uma PQP zem. 
E assim começa mais uma semana...ai Jesusssss ! 

 Bejoks!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Sódio...não se iluda com ele.

Você sabia que:
 " Um pacote de biscoito de polvilho de 100 gramas (g) possui, em média, mais da metade de toda a quantidade de sódio que uma pessoa deve consumir durante todo o dia" ?
 Eu não sabia. Por isso estou repassando essa reportagem que li no site da Anvisa. Acho útil para qualquer pessoa que se preocupa com sua saúde, mas para as mães em especial...deveria ser leitura obrigatória.
 Não sou do tipo natureba, e apesar de procurar ter uma alimentação balanceada em minha casa, Pedro já provou de um tudo. Não faço drama com relação ao que experimenta, mas sou meio chata com o que se torna hábito.
Bom... se você se interessou pelo assunto, clique AQUI e continue sua leitura.
Boa terça.

Sirva-se!

Gosto da idéia de comidinhas saudáveis servidas assim, com roupa de festa. É bem simples, fácil de fazer e dá um glamour para qualquer mesa. Fica a dica para suas festas de fim de ano!






Bejok!

domingo, 2 de dezembro de 2012

No ritmo de dezembro...bom dia!


"Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o que me faltava e passei a olhar com gentileza para o que eu tinha, descobri que, de verdade, há muito mais a agradecer do que a pedir."

 Ana Jácomo.